Noticias

Loading...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

COMPORTAMENTO HUMANO DAS ORGANIZAÇÕES: O HOMEM RUMO AO SÉCULO XXI

O Homem: Trabalho e Participação no Quadro Geral do Desenvolvimento Organizacional
KANNANE, Roberto, Comportamento Humano das Organizações: O Homem Rumo ao Século XXI, 2ª edição, SP, Editora Atlas, 1999, 136 páginas, Capitulo 03: O homem: Trabalho e Participação no Quadro Geral do Desenvolvimento Organizacional, pag. 54 a 76.

Em seu livro Roberto Kannane procura fazer uma analise do comportamento humano nas organizações, focando certos papéis profissionais a ser desempenhado bem como as interfaces com o meio ambiente em um mercado em profundas mudanças. Fala também da interdependência entre a conduta individual ou em grupo e o ambiente organizacional e o seu processo de desenvolvimento.
Ele busca ainda, através do conceito de representações Sociais, fundamentar as interações sociais hierárquicas, identificando a conduta humana nas suas diferentes influências e possibilidades e limitações quanto à questão ligada à participação.
Sugerem ainda alternativas de ação para a valorização do potencial humano através do diagnostico das motivações do trabalhador e as representações sociais do trabalho desempenhado, considerando uma abordagem holística representada pela busca da qualidade total e as perspectivas atuais rumo ao século XXI.
De acordo com o capitulo a ser trabalhado o autor procura fazer uma analise das relações entre o individuo consigo mesmo, com o grupo, com a organização e com o meio ambiente. Esta analise está ligada as relações sob o olhar dos sistemas trabalhistas e dos processos relacionados; considerando também os comportamentos e influencias da interação dos indivíduos e grupos a fim de entender de que forma funciona o comportamento organizacional. Ao olhar da Psicologia o desenvolvimento humano é a base principal no processo de melhoria do individuo fazendo-o desempenhar as sua atividades e tomando consciência do seu papel nas organizações, traçando caminhos e critérios visando uma auto realização, bem estar, conforto psíquico, e cooperando com o sistema.
O relacionamento interpessoal no trabalho reflete diretamente na participação dos envolvidos junto às organizações que vem se preocupando cada vez mais com o potencial humano. Essa preocupação é tida como o processo de valorização buscando a atuação efetiva nos processos internos. Outro fator de extrema importância é a preocupação com o desenvolvimento e qualidade dos trabalhadores e com suas qualidades de vida visto que a satisfação e bem estar deles refletem diretamente nos resultados e no clima organizacional do ambiente de trabalho. Muitas empresas buscam incentivar o desenvolvimento de seus funcionários e das suas potencialidades existindo assim uma participação e responsabilidade por parte dos superiores, deixando de lado as relações tensas. Por conta disso, as organizações só tendem a ganhar adotando processos de desenvolvimento para que possam criar um ambiente harmônico de trabalho.
As organizações têm como objetivo estabelecer metas, padrões de trabalho e comportamento de acordo com as suas necessidades e política, trabalhando juntamente com o seu pessoal para atingir os resultados considerados satisfatórios ou superando as expectativas.
O conceito de desenvolvimento organizacional não está ligado à idéia de manter, mas a idéia de melhorar o desenvolvimento grupal ou individual. Faz-se um grande esforço para atingir o progresso econômico, social e psicológico e melhorar a competitividade. Para isso a empresa precisa de funcionários felizes, motivados, orgulhosos do seu papel desempenhado dentro desta empresa. É preciso também que seja bastante conceituada, mapeando o ambiente de trabalho para atuar diretamente nas principais áreas de problemas, tomar decisões adequadas e estar sempre em busca de informações para que possa usufruir de bons resultados e de melhoria continua. É fundamental também manter motivado o comportamento e a capacidade do homem visando à importância do individuo dentro do processo, valorizando o capital humano, através do reconhecimento de suas potencialidades, permitindo seu crescimento e fortalecimento entre a organização e das pessoas. No novo mundo é necessário que os grupos acompanhem as mudanças ocorridas, já que exigem também uma melhor capacitação, para alcançarem as metas e objetivos desejados.

3 comentários:

  1. POBRE ANIVERSARIANTE.

    Um dia, um homem se encontrava na noite de natal, em uma pequena cidade, quando viu uma casa ricamente enfeitada, toda iluminada, observando esta bela casa pela janela, ele viu que havia uma grande árvore muito bonita, toda enfeitada com milhares de lâmpadas; a árvore tinha em sua base muitos pacotes de presentes, em torno da mesma, muitas pessoas bebiam e comiam ao som de alegres músicas, todos estavam muito alegres e felizes. Do lado de fora desta mesma casa, havia um garoto sentado no primeiro degrau da escada que havia em frente à casa, pelo seus trajes se via que era muito pobre. O homem se aproxima do garoto, notou que ele estava muito triste, seu semblante era de alguém que fora abandonado, o homem se aproxima, senta-se a seu lado, pega em sua mão e diz.
    —Como está, filho? Você parece estar muito triste.
    —Sim estou muito triste! Porque toda essa tristeza? Tudo hoje é alegria, é dia de natal, hoje se comemora o nascimento de Jesus Cristo. Nesta data, todos nós devemos estar alegres, outra coisa todos estão festejando, porque não foi também em alguma festa.
    —Bem que gostaria, mas não fui convidado por ninguém.
    —Menino, diga-me seu nome e te apresentarei ao dono desta casa, eu o conheço e você poderá participar desta bonita festa.
    –Não adianta dizer meu nome,
    –Porque não adianta dizer seu nome?
    –Porque todas as pessoas desta casa me conhecem a longo tempo e muito bem, sabem também que faço aniversario hoje, não só elas, mas todos desta cidade, todos deste estado, todos deste país e muitas outras pessoas deste planeta, até o senhor me conhece, o homem pensativo abaixa a cabeça, muito envergonhado, diz
    —Sim garoto! Acho que você tem razão não adianta mesmo dizer seu nome!

    Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça. Editora Scortecci.
    http://pauloluizmendonca.judblog.com

    NOITE DE NATAL

    Natal é noite feliz
    É o que todo mundo diz
    Nesta comemoração.
    Nem todos têm alegria
    Em alguns a tristeza estaria
    Ferindo seu coração.

    Quem tem amigos distantes
    Ou quem tem a vida errante
    No natal não tem tal calma
    Quando o sino bate a noite
    Recebe no ouvido um açoite
    Que fere dentro da alma.

    Eu que vivo assim sofrendo
    Com o coração remoendo
    Nas tristezas que vai e vem.
    Com o pensamento errante
    Procuro por Cristo distante
    Indo parar em Belém.

    RECORDAÇÃO DO NATAL

    Em uma triste noite fria
    Escuridão alucinante,
    Parei fiquei em silêncio
    Ouvindo o sino bater
    Em uma capela distante.

    O sino que repicava
    Enviando no ar um sinal.
    Fiquei triste neste momento
    Veio-me logo na mente
    Recordações do natal.

    Sozinho onde eu estava
    Bem longe dos entes queridos
    Nesta hora eu me encontrava
    Solitário neste mundo
    Todos já tinham partido.

    Estas poesias foram extraídas do livro Crônicas Indagações e Teorias, autor Paulo Luiz Mendonça. Editora Scortecci.

    ResponderExcluir
  2. EM BUSCA DA FELICIDADE.

    Os seres humanos, em toda sua historia, procuraram incansavelmente, uma maneira de ter mais conforto, mais paz, com isso ter uma vida mais cheia de felicidade. Esta tranqüilidade seria principalmente ter mais horas de descanso, mais tempo para desfrutar das coisas boas do seu lar, curtir mais intensamente sua esposa, conviverem mais com seus filhos, dando a eles mais atenção e principalmente uma melhor educação.
    Toda a luta por estes princípios foi destruída pela mídia. A partir do surgimento deste nefasto sistema de indução das nossas mente, que é feita com técnicas especiais, e nos deixam á mercê deste sistema. Não temos como evitar, todos nos somos atingidos, com mais ou menos intensidade. Alem de nos induzir ao consumismo, a mídia também deturpou nossa moral, nossos costumes os quais eram os nossos maiores e mais importantes bens.
    Hoje, os seres humanos estão todos mergulhados no turbilhão do consumismo desenfreado. Para satisfazer este consumismo, todos estão numa grande disputa, disputa esta de fazer inveja aos mais renomados gladiadores romano. Com esta nova modalidade de vida, ninguém mais tem tranqüilidade, até as crianças sofreram modificações. Elas deixaram de serem crianças, passaram também a entrar na disputa desenfreada imposta pela mídia. Uma criança hoje, de inicio vai para a escola com dois ou três anos, penso que isso é muito prematuro, o certo seria primeiro ser criança, desfrutar desta fase maravilhosa. Participar de brincadeiras infantis, enfim, ser apenas crianças pelo menos até os sete anos. A partir dos sete anos seria o momento adequado para iniciar seus estudos.
    Com esta desenfreada disputa imposta pela mídia, as crianças iniciam Precocemente seus estudos, alem do estudo chamado hoje de fundamental, há também cursos de inglês, computação, música, balé futebol, judô e muitos outros cursos. As crianças passam a ter uma vida agitadíssima. Os pais gostam muito desta situação porque se livram dos filhos, passando ate três ou quatro dias sem velos. Os pais também por sua vez, mergulham de cabeça na disputa para ganhar mais, e mais dinheiro, para poder adquirir tudo que a mídia os induz a comprar. Este consumismo irracional levou as pessoas a não ter mais paz, a não ter mais tempo para a esposa ou para os filhos. A mentalidade atual é de disputa, se seu vizinho tem uma casa bonita, você tem que ter também, se seu vizinho tem um carro do ano você tem que ter igual, ou de preferência melhor que o dele. Outra coisa importante é que a tecnologia continua criando novas coisas para serem consumidas, há sempre novidade no mercado. Desta maneira, a coisa vai degringolando para uma situação que não podemos prever onde irá parar. Eu pergunto onde esta a felicidade tão almejada, onde esta a paz, onde esta a tranqüilidade? Tudo isto foi jogado no lixo. Á ordem agora é trabalhar igual um burro de carga, só para satisfazer o consumismo imposto pela mídia.
    Façam uma reflexão sobre isso, reflita, faça um exame de consciência, você descobrirá que o verdadeiro caminho não é este. Não pensem que vou dizer que o caminho bom é aquele através das religiões, não é nada disso. O importante na vida é ter paz. Riqueza conseguida através de uma luta desenfreada por toda a vida não da paz a ninguém. No fim da vida você ira notar que foi apenas um joguete nas mãos da mídia.

    Esta crônica foi extraída do livro, Crônicas, indagações e teorias. Autor Paulo Luiz Mendonça.
    http://pauloluizmendonca.judblog.com

    ResponderExcluir
  3. Minhas duvidas.

    Há um Fato nebuloso para mim, nas explicações, dada pelas religiões que se dizem cristã. Por mais que eu procure, por mais que eu pesquise não consigo encontrar o motivo desta afirmação. Dizem os teólogos que Jesus Cristo veio ao mundo para nos salvar, eu pergunto salvar do que, de quem. Qual o perigo que nos ameaça. Eu não vejo nada que está nos pondo em perigo eminente. Este salvamento seria de ordem física ou espiritual. Se for de ordem física o perigo continua, nós estamos correndo risco de morrer durante toda nossa vida, isso fás parte do jogo da humanidade. Se for de ordem espiritual, não cabe a Jesus nem a qualquer tipo de santo ou qualquer tipo de religião que poderá nos salvar. Este trabalho de salvamento espiritual se realmente for necessário, o encarregado de nos salvar somos nós mesmos, nós temos o livre arbítrio, temos a consciência, temos a inteligência e temos também o nosso raciocínio o qual nos da condição de saber o que e o bom procedimento ou o que é mau procedimento. Portanto nós somos uma célula pensante da humanidade como um todo. Se cada um de nós agir de uma maneira correta, justa sem individualismo, sem hipocrisia, sem maledicência, sem egoísmo e amarmos nossos semelhantes como a nós mesmos não precisamos pensar em salvação pois já estaremos salvos pela nossa conduta irreprochável do bem viver. Religião é para os que não sabem se conduzir por si próprio é para os que não usam seu raciocínio de maneira lógica e coerente, os que usam lógica e coerência durante toda sua vida não precisa de nenhuma religião para os salvar. Esta historia de nos salvar foi criado pelas religiões, isso nos induz a procurar uma delas para nos conduzir pela vida. Quem precisar, se sentir fragilizado que procure uma, mas muito cuidado com a escolha.
    Paulo Luiz Mendonça autor do livro Crônicas, indagações e teorias. Editora Scortecci

    ResponderExcluir